Logomarca do portal

Logomarca do portal
Prezado leitor, o Portal do Servidor Publico do Brasil é um BLOG que seleciona e divulga notícias que são publicadas nos jornais e na internet, e que são de interesse dos servidores públicos de todo o Brasil. Todos os artigos e notícias publicados têm caráter meramente informativo e são de responsabilidade de seus autores e fontes, conforme citados nos links ao final de cada texto, não refletindo necessariamente a opinião deste site.

Bem vindo ao nosso Portal

Seja bem-vindo ao nosso site!!!


HISTÓRICO DOS SERVIDORES DA EX SUCAM-FUNASA/MS

HISTÓRICO DOS  SERVIDORES DA EX SUCAM-FUNASA/MS
A situação é grave de todos os servidores da ex. Sucam dos Estados de Rondônia,Pará e Acre, que realizaram o exame toxicologicos, foram constatada a presença de compostos nocivos à saúde em níveis alarmantes. VEJA A NOSSA HITÓRIA EM FOTO E VIDEO

AFPB (Associação dos Funcionários Públicos do Brasil)

AFPB (Associação dos Funcionários Públicos do Brasil)
MISSÃO: Apoiar e unir o funcionalismo público em torno de seus interesses, desejos e necessidades, atender as demandas da categoria e representa-los em todo o território nacional.

SINDSEF RO

SINDSEF RO
SINDICATO DOS SERVIDORES PUBLICO DE RONDÔNIA

NOTÌCIAS DA CONDSEF

NOTÌCIAS DA CONDSEF
CONDSEF BRASIL

GRUPO DE VENDAS DE IMÓVEL

GRUPO DE VENDAS DE IMÓVEL
QUER COMPRAR OU VENDER É AQUI!!

CAPESAUDE/CAPESESP

CAPESAUDE/CAPESESP
FOMULÁRIOS

GRUPO OFICIAL DO PORTAL DO SERVIDOR PÚBLICO DO BRASIL: PARTICIPE TÁ NA HORA CERTA

GRUPO OFICIAL  DO PORTAL DO SERVIDOR PÚBLICO DO BRASIL: PARTICIPE TÁ NA HORA CERTA
Este Grupo quer reiterar a gratidão e o respeito que sempre dedicam ao serviço público. Respeito expresso no diálogo: faça porte dessa família CURTINDO NOSSO PÁGINA NO FACEBOOK

SELECIONE SEU IDIOMA AQUI.

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Acordo deve ser assinado até sexta

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Acordo deve ser assinado até sexta


BSPF
    -     28/08/2012





Nesta
terça-feira, dia em que completa 22 anos, a Condsef promoveu uma plenária
nacional com representantes de pelo menos 18 categorias de sua base de todo o
Brasil. Por ampla maioria, os servidores aprovaram proposta apresentada pelo
governo que concede reajuste (R$1.000-NS; R$930-NI; R$630-NA) inseridos na
gratificação de desempenho - escalanados em três anos (
confira tabelas).

A
proposta atinge pelo menos 510 mil servidores, entre ativos, aposentados e
pensionistas. Nesse cenário estão compreendidas categorias que representam a
maioria dos servidores do Executivo e fazem parte do PGPE (Plano Geral de Cargos
do Poder Executivo) – que possuem servidores lotados em todos os ministérios e
autarquias, CPST (Carreira da Previdência, Saúde e Trabalho) – que engloba
também servidores da Funasa – além das carreiras correlatas. Carreiras
correlatas compreendem categorias que possuem tabelas similares ou bem próximas
à realidade salarial do PGPE e CPST – que possuem as menores tabelas do
Executivo.

Entre
elas podemos citar Cultura, Fazenda (PECFAZ), Imprensa Nacional, SPU, HFA,
Embratur, AGU/DPU, administrativos da PRF, Integração Nacional, Funai
(categorias não citadas devem observar se estão inseridas no PGPE ou CPST e,
portanto, estão contempladas pelo acordo). O acordo para esses setores deve ser
assinado até sexta e a volta ao trabalho dessas categorias acontece a partir de
segunda, dia 3 de setembro.

A
Condsef foi hoje ao Planejamento comunicar ao governo a aceitação da proposta
desses setores de sua base. A entidade aproveitou a oportunidade para cobrar
ainda a devolução integral e imediata dos pontos cortados pelo governo. Está
neste grupo a maioria dos servidores atingidos pela determinação da presidenta
Dilma, que chegou a cortar 100% do salário de alguns
trabalhadores.

Paralelo
a este debate no Planejamento, a assessoria jurídica da Condsef teve também hoje
uma audiência com o ministro Marco Aurélio, relator no STF (Supremo Tribunal
Federal) de ação protocalada pela Condsef e outras entidades sindicais que pede
a suspensão imediata do corte de ponto que prejudica
milhares
de servidores, impedindo seu sustento familiar.


Além
desses setores que aceitaram a proposta e representam a maioria dos servidores
que mantém uma greve geral em todo o Brasil, outros setores da base da Condsef
já autorizaram a assinatura de acordo com o governo. Entre eles estão servidores
da Area Ambienta (Ibama, Instituto Chico Mendes e Ministério do Meio Ambiente) e
servidores do INPI.

A
Condsef ainda aguarda resposta sobre aceitação de proposta de outros setores de
sua base como Agências Reguladores, Tecnologia Militar, Inep/FNDE e Instituto
Evandro Chagas. Até agora, a única categoria da base da Condsef que oficialmente
disse não à proposta do governo e mantém tratativas no Planejamento é a dos
servidores do Incra.

A
entidade continuará dando todo suporte à luta dos companheiros. Essa semana é o
prazo limite para reportar respostas dos trabalhadores ao governo.

Garantias
para assinar acordo – Os servidores que aprovaram as propostas do governo
aceitaram a formalização de acordos que garantam a continuidade das negociações
que buscam a equiparação salarial com a tabela criada pela Lei 12.277/10. A lei
abrange cinco cargos de nível superior do Executivo (Engenheiro, Estatístico,
Arquiteto, Economista e Biólogo).

A
Condsef também busca a consolidação de um reajuste nos benefícios pagos aos
servidores do Executivo, como auxílio-alimentação e plano de saúde. Apenas no
caso específico dos benefícios não se aplica a obrigatoriedade legal de envio de
projetos de lei ao Congresso Nacional – com previsão orçamentária para 2013 -
até 31 de agosto. Por isso, a concessão de reajustes em benefícios pode ser dada
a qualquer tempo.

A
Condsef espera que ainda este ano haja aplicação de algum percentual na melhoria
desses valores, bastante defassados para os servidores do Executivo. Sobre o dia
31 de agosto como limite para envio de projetos ao Congresso, é intenção da
Condsef buscar alteração desta data que acaba prejudicando o alcance de
consensos nas mesas de negociação em curso. Para isso, a Condsef está buscando
uma audiência com o presidente da Câmara dos Deputados, deputado Marco
Maia.

Fonte:
Condsef